.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

O empresário reformado

.
É o mais velho dos candidatos, mas nem por isso o menos voluntarioso. Foi o primeiro a anunciar a sua candidatura.
Henrique Neto nasceu há 79 anos no Beco do Carrasco, à Rua do Poço dos Negros em Lisboa, filho de um polícia da Marinha Grande. Já foi operário e comunista e empresário e socialista. Agora, que está aposentado, quer ser presidente. Parece-me razoável. Seria, no culminar de uma vida sempre a subir, a cerveja no topingue - uma espécie de “do cabaré para o convento”, ou lá o que é.
.
Mas Neto propõe “uma nova república”. Nem menos. Seria uma república empresarial, certamente. Sim, porque Neto tem soluções para tudo - empresariais, claro. Enquanto outros visitam asilos, Neto visita empresas. Para ele um país sem estratégia é um país sem rumo.
Parece-me que ele leu o Sun Tzu para tótós que a madrassa da católica dá a ler aos futuros capitães-do-mato da alta-finança e pensa que percebeu o sentido da vida. 
.
Mas não estou certo que ele não se tenha enganado na eleição. Receio que ele pense que o presidente da República lidera o governo. O que não é de admirar - a sua candidatura é apoiada, entre outros notáveis, por Medina Carreira e Nuno Crato. Dois vultos, como dizia o grande Zé Viana, “de alta cravadeira intelectual”.
.
A verdade é que, na capital portuguesa do vidro (uma das mais magníficas substâncias inventadas pelo homem) Neto enriqueceu a vender plástico.

2 comentários:

cid simoes disse...

"Candidato à Presidência da República" fica bem no currículo; deve ser só isso.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Tartarugo?

A mim, parece-me mais um cágado!