.

sábado, 2 de agosto de 2008

Picasso, Einstein e o zeitgeist




Este desenho foi-me sugerido pela leitura de dois muito interessantes artigos de Carlos Fiolhais, no de Rerum natura, sobre a relação entre a arte, a ciência e o “ar do tempo”. Espero acrescentar algum humor a uma relação algo “triangular”.
Presumo que cada tempo tenha o ar que merece. Infelizmente o ar do nosso tempo, o nosso zeitgeist, está sufocado simultaneamente por velhos fervores religiosos e por um novo tipo de credo absoluto e exclusivista: o do sacrossanto conceito de Mercado, o investimento & (sobretudo) o lucro. O que, receio, deixa pouco espaço para a arte, para a ciência e para conceitos divergentes. Com a possível excepção do humor. Este vai estando a salvo das leis do mercado e de outros conceitos absolutos. Talvez seja este o nosso zeitgeist.
.
.

1 comentário:

Afectos disse...

é particular e egoísta mas bis... para a sua pintura.