.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Improviso nº8 - o trópico de Fevereiro


Buarcos enfeita-se de tapumes e penachos.
O Rio de Janeiro continua lindo.
Mas aqui o Trópico é de Fevereiro.
A nortada acaricia a pele de galinha das celulites lívidas em exposição ao sol gelado da avenida.
Nem o Samba deslocalizado acalenta as almas pálidas e transformistas dos foliões tristes de todos os fevereiros.
Mas eu vivo na aldeia. Os basbaques irão todos daqui em romaria, gastar pneus e assomar às paliçadas.
É um descanso.
O Domingo será Gordo. E Terça-Feira.
São três dias.
.

1 comentário:

António Agostinho disse...

viver na aldeia é o que está a dar...