.

segunda-feira, 16 de abril de 2007

Achados

Em Setembro de 2005 fiz uma exposição na galeria da Magenta, na Figueira da Foz. Além das habituais pinturas, expus sete peças que eram o resultado das minhas experiências de todo o Verão desse ano. Por ser tão diferente do que as pessoas conheciam do meu trabalho, tive a necessidade de me explicar e às sete peças que completavam aquela mostra. E que agora vos vou revelando.
Aqui fica, esse

Esclarecimento

Estes achados, esculturas, objects trouvés, improvisações, assemblages, montagens ou o que se quiser chamar-lhes, são, tão só e apenas, as experiências de um pintor.

Estas peças, onde se destacam os volumes e os seus efeitos (as texturas, as sombras, o espaço, etc.), não são esculturas no sentido convencional mas apenas obras de um pintor preocupado com as questões do desenho das coisas, da sua essência, isto é, das suas formas e seus sentidos.

Utilizando despojos de ferro-velho de variadas origens e combinando-os com madeiras e outros materiais, obtive fortes contrastes, novas formas e necessariamente outros significados: uma espécie de “transfiguração” cujo resultado, nalguns casos, me satisfaz o instinto.

Fernando Campos, Setembro, 2005

Retrato de uma senhora
(uma velha pá, uma serra-de-arco,chapa de ferro, tela pintada de negro)
.
Eis um dos achados, de 2005. A esta foto falta ainda a velha moldura dourada com que foi exposto na já citada mostra na Magenta, em Buarcos, no Outono de 2005.
Sendo sem dúvida um objecto bizarro para o nosso meio, trata-se de um capricho de humor (como, aliás, todos estes achados), um objecto de artista, fruto de um impulso criativo imponderável que, por iniludível, não resisti a expôr e, agora, a mostrar também aqui.
.
.

1 comentário:

cfreitas disse...

Gosto, sobretudo, da cabeleira da senhora. Emproada. Não sei porquê mas detesto senhoras emproadas. É um achado verdadeiramnte achado.