.

quinta-feira, 4 de março de 2010

O padre vermelho


Il prete rosso, (o padre vermelho) faz hoje anos.
Não, não era comunista, era apenas ruivo.
António Vivaldi está no meu panteão logo à direita de Bach (eram ambos génios barrocos).
Curiosamente este génio da música só foi "descoberto” no século XX, o século do jazz (o que talvez não seja tão paradoxal assim pois como se sabe, no barroco como no jazz os músicos exibem a sua virtuosidade na pura improvisação).
Como não tive tempo de lhe fazer um retrato (tenho obras em casa), fiquem com a sua música e esta caricatura de Pier Leone Ghezzi, de 1723.
.
.

2 comentários:

O Belogue da Martinha Lacerda disse...

Cá a velhota resolveu o problema. Vendeu o blog a um excêntrico que só passa música regional. Assunto resolvido.

Daniel Abrunheiro disse...

Viva Vivaldi nem é redundância: é uma alegria.