.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

o Abramovich da Tocha



Nesta galeria de notáveis locais que me propus ir desenhando, depois do mágico desconcertante, este é talvez o mais notável de todos... Ou isso.


Um self-made-man. Um fenómeno. A este, nem o céu lhe turva o horizonte, nem vertigens lhe embotam a escalada. Por isso mesmo adquiriu um avião, como Abramovich, para se deslocar nas suas inúmeras viagens empresariais de sucesso. Sim, que ele até já foi condecorado com a Medalha de Ouro de Mérito Profissional, pelo município de Vila Nova de Gaia.

Modesto. Confessa “não ser um homem rico”. Tem interesses e gere projectos, “Gosto muito de comprar terra e apaixono-me por ela. Depois, trabalho-as com muito carinho, não as encho de betão. O sucesso passa por aí.” É nesta parte que nem todos são unânimes.

Benemérito. Interessa-se imenso por causas sociais.
É mesmo o único empresário figueirense que respondeu ao desafio do presidente da República e aderiu à campanha contra a exclusão social, integrando a associação Empresários pela Inclusão Social (EIS). “Dá-me tanto prazer ganhar como dar, e procuro este tipo de situações.”

Ah, e a cultura. Interessa-se imenso pela cultura. Arrebatou em 2004, num leilão, um exemplar da primeira edição de “Os Lusíadas” por 32 mil euros. “Deu-me muito prazer comprar este livro por ser a primeira edição e por gostar de História. O livro há-de ir para um sítio de relevo na hora própria.”

Ah, e o desporto. Interessa-se imenso pelo desporto. É presidente da direcção do clube local há 15 anos. Este homem que garante que “tem parcerias de primeira água”, conseguiu levar o clube à 1ª divisão, após quase 100 anos a vegetar nos escalões secundários do futebol nacional.

Ah, e a Figueira da Foz. Interessa-se imenso pela Figueira da Foz.
Agora que a cidade ficou sem maternidade pública e que privatizaram a liberalização do aborto, ele quer oferecer-lhe uma clínica toda nova, na várzea da Tavarede. Privadíssima e super-moderna. Por dentro de um hiper centro comercial e com um mega parque de estacionamento por fora.
Sim, porque todos os interesses deste notável são superlativos.

* Os dados referidos neste texto foram recolhidos deste delicioso case study de jornalismo "prestável".
.

1 comentário: