.

quinta-feira, 17 de maio de 2007

o assobiador

(estrado de madeira, uma velha talocha, espátula,
bocados de madeira,
cartão, anilhas e moldura dourada – 2005)
.
De entre todos estes achados que vos venho mostrando, esta é, talvez, a peça onde é mais notório o exemplo de Picasso (para mim, o maior escultor do século vinte e arredores...)

É dele, entre outras também fecundas, a ideia que a escultura se pode fazer não apenas retirando bocados de um bloco (a talha) ou acrescentando nacos a um todo (a moldagem), mas juntando e combinando objectos díspares já existentes, o que alguém, mais tarde, cunhou de assemblage. É sabido que esta ideia, concebida nos anos dez do passado século, já fez o seu caminho na arte moderna…

É dessa ”nova” forma de fazer escultura a partir de objectos com vida própria e prévia, conjugando elementos vivos com uma livre associação de ideias e conceitos, que também eu parti para estes achados utilizando sem vergonha, como um dos netos de Picasso, o seu legado.
O velho Don Pablo teria feito o mesmo. Para ele os únicos escrúpulos quanto a cópias, eram em relação a si mesmo.
.
.

2 comentários:

Afectos disse...

Muito, mesmo muito interessante o seu trabalho.

fernando Campos disse...

Obrigado pela visita. Volte sempre.