.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

O homem que gostava de pessoas

.
Morreu Luís de Melo Biscaia. 
Foi um advogado e político cuja conduta corajosa (quando foi preciso), compostura moral e lisura cívica devia servir de exemplo a todas as gerações de políticos e advogados que se lhe seguiram. Um cidadão atento que até há pouco tempo - quase diariamente no seu blogue - continuava a fazer a pedagogia do bom senso e da tolerância, o que hoje pode parecer antiquado.
Era, no sentido literal, um aristocrata. Um homem deferente, elevado, solícito, generoso. E não por formação ou por educação, mas por verdadeira convicção, porque gostava mesmo das pessoas - incluindo das que não pensavam como ele. 
Como escrevi algures neste blogue, quando lhe foi concedida a Medalha de Mérito da Cidade, se o poder fosse exercido apenas por homens assim até eu me tornaria miguelista.
.

-

1 comentário:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Claro que homens assim vão morrendo...
Ou não
Se querendo
não morrem os exemplos que nos vão deixando