.

terça-feira, 28 de julho de 2009

A felicidade da imbecilidade


“(…)acho que certa idiotia é susceptível de conferir ao idiota seu proprietário (ou seu prisioneiro) uma espécie de segurança em si próprio que o levará, em determinados momentos, julgo eu, a uma beatitude muito próxima do que se pode chamar estado de felicidade.”Alexandre O’Neil - Idiotia e Felicidade, in “Uma Coisa em Forma de Assim”

Quando Antero, numa das conferências do Casino, sistematizou as causas da nossa decadência esqueceu-se porventura da mais importante. É que enquanto as três que ele apresentou eram, ou foram, simplesmente conjunturais (corresponderam a opções políticas erradas), esta é endógena. É ela que caracteriza a nossa mais profunda especificidade. É ela também que determina a s nossas escolhas.
Portugal tem uma exclusiva e hereditária capacidade de se deixar governar, curar, julgar, ou ensinar - por imbecis.
Só em Portugal é possível um autêntico imbecil, não só "ser feliz", como fazer carreira; ser respeitado; considerado; requisitado. Tal é o caso de João César das Neves, cujo curriculum, impressionante, para além de lhe permitir ganhar a vidinha, também serve para corroborar a minha tese.
O vetusto jornal (cuja longevidade também comprova a minha tese) onde ele escreve as suas ditirâmbicas palermices acaba de publicar a mais recente das suas pérolas alarves: “A ética da estética”. Nem mais.
Se algum de vós, leitores deste triste blogue, lobrigais algum sentido em tal chorrilho de bacoradas, ficaria grato se mo explicásseis (o meu endereço electrónico está em cima da barra lateral). Como André Breton, também eu acho que “um filósofo que não entendo é um cretino”.
E agora, perguntais vós, porque perde você tempo a desenhar um idiota chapado?
Helas, porque sim. Tal como Leonardo (os grotescos), Velasquez (os bobos e os anões) ou Gericault (os alienados) perscrutaram complexas psicopatologias no desenho de idiotas, também eu sinto uma irreprimível, embora modesta, vertigem pelos abismos da alma humana.
.

3 comentários:

CS disse...

Impecável. Tiro certeiro na 'mouche'.
Vou divulgar.

samuel disse...

Post "grande"! :-)))

José Augusto Nozes Pires disse...

Grande Blog!(com maiúscula)As figurinhas e os figurões têm que ser corridos à «pedrada» (incluindo o gajo dos futebóis que disse isto.